13 de set de 2012

1

Solidão Contentada

Posted in




Sobrevém a mim um tempo mórbido
De engano num coração sórdido
Gosto de Absinto pífio
Sóror amargurada


Tempo de fazer-me chorar
Voar nas asas da incerteza
Querer eu me encontrar
Mas nada a encorajar


Sinto ódio, rancor, solidão
Perdida nos portais de tempo
Pierrô a me vexar
Entorpecendo-me de sublevações 

Na angustia do relógio lamento
Minha alma fere tanto
Choros em sons ecoam
Pupilas que não dilatam

Perco-me no alado no vão
Vou curtir na chorosa solidão
Na pele fria do meu rosto
Lamento minha depressão

A voz não consegue abrandar
Ajudas vêm me incomodar
Abraços me sufocam
Deixe-me só pra eu sozinha chorar






1 comentários:

9

Imortal

Posted in




 Sou perfeita imperfeita
Apenas lembranças terei
Mas se me deres tua boca
Perfeita me tornarei

No silêncio penso na morte
Pois sei que um dia morrerei
Mas se me escolheres dentre tantas
Por você ressuscitarei

Uma vida, um sonho
Um luar, uma visão
Ame-me de verdade
Mostre-me seu coração

Não me deixe ao desalento
Pois assim não resistirei
Mas se me deres o teu amor
Imortal me tornarei...




9 comentários:

0

Duetos do Coração

Posted in

 De onde vem esse olhar
 Que tanto me faz suspirar
 Mesmo na ausência procurar
 Esse brilho que me faz te amar
 De onde vem esse tom 
Que faz meus seios palpitar 
De lábios finos a ríspido som 
Suave canção faz meus versos inspirar
 Vem de reflexos precipitados 
Onde permito te encontrar
 Vem de desejos escondidos e guardados 
Vem de uma simples vontade de beijar 
Vem de notas de sublime arranjo
 De minhas preces, de meu sonhar. 
Contempladas por saudosos anjos 
Cupidos que Minh ‘alma faz flertar 
 De onde é inútil procurar 
Vem de murmúrios dos silêncios
 Onde ocultos continuo a guardar
 Aonde o amor vem sempre renovar.





0 comentários:

1

Decisão

Posted in






Senhorita dos olhos tristes
Porque tanto choras?
Presa nos grilhões da vida
Busca incansável a saída
Pequenos olhos sem cor
Buscam encontrar o amor
Basta apenas um barulho
Para esquecer ate o orgulho
Princesa de desencantado sonho
Sem argumentos então proponho
Sem rumo não pode desfrutar
O que faz senhorita chorar?
Brilho fosco castelo baixo
Abaixa o rosto manuseia os cachos        
Timidez seria a razão?
Vontade de ganhar emoção
Sua vida seria mais intensa
Seus encantos serão a recompensa
Na esperança de um brejo encontrar
Alguém para fazê-la acordar
Juntos esta num encalço
Na segurança de um novo passo...




1 comentários:

12 de set de 2012

3

Preciosidades

Posted in






 Pelos trilhos de minha caminhada
Busquei dentre todas as pedras encantadas
Entre elas, a preciosa amizade
Que valeu por toda minha jornada

Encontrei-te diamante raro
Lembrar-te-ei em todos os meus passos
Que destes minhas pegadas, do brilho desfrutei
Um laço de amizade que no coração selei

Dentre preciosidade que me deste Deus
As mais belas dentre elas encontrei
Uma rara e forte rocha
A amizade de desabafos meus

Deixe-se brilhar cada vez mais
E que nossa amizade passe a durar
Não somente no tempo viril
Mas como a duradoura vida de Quesil!

3 comentários:

11 de set de 2012

10

Sinopse de Redenção

Posted in





Agatha é uma mulher forte e determinada apesar de sua aparência frágil.
Ela se encontra sem memória e perdida num lugar estranho, mas recebe ajuda de Elizabeth, talvez sua única amiga. Após uma fuga inesperada ela se refugia na casa de dois idosos que a tratam como sua filha perdida.
Agatha tem sonhos estranhos que talvez sejam lembranças de um passado que ela queira esquecer, eles são fleches de cenas horríveis, em lugares nunca vistos e tão diferentes de onde ela está agora.
E enquanto tenta redescobrir seu passado ela descobre que o que a deixa forte e superior aos outros pode ser sua fraqueza e leva-la a morte...
 Mas eis que Surge então seu resgatador...
Porém novas dúvidas surgem agora, pois ele a quer de volta a qualquer custo, mas apesar deles serem iguais e de possuírem os mesmos dons, alguém aparentemente insignificante pode mudar tudo e um sentimento nunca antes experimentado pode leva-la a Redenção... 


10 comentários: